5 SURPRESAS QUE VOCÊ PODE TER DURANTE UMA CONSULTA AO GINECOLOGISTA

Descubra cinco surpresas que você pode ter durante uma consulta com o ginecologista, de acordo médica Erica Mantelli

 

Ginecologista_Surpresas_1

O erro de muitas mulheres em relação à saúde, é procurar um médico apenas quando está com algum problema ou dúvida. Mas, a importância da consulta mensal ou anual a qualquer médico é a prevenção de doenças e a garantia de uma vida saudável, sem preocupações. A ida ao ginecologista não pode ser diferente. De acordo com a ginecologista e obstetra Erica Mantelli, a mulher deve fazer a sua primeira visita logo após a primeira menstruação. “É importante marcar uma consulta nessa fase para tirar todas as dúvidas sobre o ciclo menstrual, absorventes, corrimento, cólica, tensão pré-menstrual e até falar um pouco sobre os métodos contraceptivos”, explica.

Em geral, na primeira consulta, o especialista irá analisar o histórico da paciente e pode indicar alguns exames. “Podem ser feitos exames clínicos e análise das mamas e também o famoso papanicolau que é feito por meio da introdução do espéculo para examinar a vagina e o colo do útero”, afirma a ginecologista.

Sendo a primeira vez ou não, na hora da consulta, o médico pode te informar sobre algumas doenças ou fatos que podem parecer assustadores. Pensando nisso, a VivaSaúde enumerou as principais surpresas durante uma consulta.

1. Você tem um útero invertido!

Não se assuste com essa afirmação da sua ginecologista. A Dra. Erica Mantelli explica o que é o útero retrovertido como é chamado. “Algumas mulheres apresentam o útero retrovertido devido a uma variação anatômica.

Ele está posicionado virado para trás do corpo e não voltado para frente”, esclarece a médica.O útero retrovertido não impede a gravidez, porém algumas mulheres podem ter uma dificuldade para engravidar, pois tem mais chances de ter endometriose.

2. O diagnóstico confirmou que você tem a síndrome de ovário policístico!

As mulheres que tem essa síndrome tendem a produzir uma quantidade maior de hormônios masculinos que pode atrapalhar a fertilidade feminina. Além disso, a testosterona também pode interferir e aumentar a possibilidade da incidência de cistos impedindo a ovulação.

“Essa síndrome pode ser diagnosticada em qualquer fase da vida da mulher. Mas tende a se apresentar logo após a primeira menstruação”, ressalta a ginecologista.O tratamento geralmente envolve a prescrição de anticoncepcionais ou medicamentos à base de hormônios específicos.

3. O resultado do exame de HPV é positivo!

O HPV é um vírus capaz de infectar a pele e as mucosas. Existem mais de 100 tipos diferentes de HPV, sendo que pelo menos 13 deles tem potencial para causar câncer no colo do útero. De acordo com a ginecologista o vírus pode se manifestar de duas formas: clínica e subclínica.

Nas mulheres podem aparecer no colo do útero, vagina, vulva, região pubiana, perianal e ânus. “A transmissão do vírus HPV pode ocorrer por meio do contato direto com a pele ou mucosa infectada. O ideal é consultar um médico e após uma avaliação clínica ele pode indicar o tratamento mais adequado”, frisa a médica.

4. A ausência da sua menstruação é um sinal de menopausa precoce!

Algumas mulheres podem entrar na menopausa antes dos 32 anos. “A menopausa precoce consiste na falência ovariana da mulher que é a perda temporária da função gonadal (de produzir hormônios)”, diz a ginecologista. Converse com o seu ginecologista para que ele indique o melhor tratamento.

Nesse caso pode ser recomendado a Terapia de Reposição Hormonal, a TRH. Em outros casos a ausência da menstruação pode estar relacionada à síndrome de ovários policísticos, doenças da tireóide, emagrecimento intenso, estresse e uso de medicamentos.

5. Você está com uma lesão no colo do útero!

“Corrimentos de repetição, bactérias e fungos podem levar à uma inflamação do colo do útero, e em alguns casos, além do tratamento com medicação via oral e tópica, é necessário realizar uma cauterização do colo do útero”, finaliza a ginecologista.

Comentar

Navegue pelas Categorias