É normal ficar 18 horas em trabalho de parto como Bella Falconi? Médica explica

A musa fitness Bella Falconi deu à luz sua primeira filha, Victoria, depois de ficar 18 horas em trabalho de parto. Durante esse período, ela postou fotos nas redes sociais e atualizou seus seguidores. “Vou tentar até o fim”, disse ela, que não queria se submeter a uma cesárea. Mas até quando insistir na possibilidade de ter um filho de forma natural? Quando desistir e optar pela cirurgia?

normal-ficar-18-horas-trabalho-de-parto-bella-falconi-1

 

Duração do trabalho de parto

A ginecologista e obstetra Erica Mantelli diz que não é possível determinar quanto tempo pode durar, pois é algo que varia para cada mulher. “Em média, o parto pode durar 15 horas podendo ser mais ou menos, mas não existe tempo máximo. O importante é avaliar a vitalidade do bebê e poder continuar com o trabalho de parto em segurança. Se ele estiver bem, é possível ainda esperar várias horas”, afirma.

normal-ficar-18-horas-trabalho-de-parto-bella-falconi-2

Parto de Bella Falconi

Por isso é importante que, durante todo o processo, o médico monitore a gestante e o bebê. No caso do parto de Bella Falconi, ela foi para um hospital assim que descobriu que já estava dilatando e teve acompanhamento profissional durante todo o tempo. Para amenizar as dores, chegou a tomar duas anestesias. Também fez exercícios na bola e caminhadas para acelerar a dilatação.

normal-ficar-18-horas-trabalho-de-parto-bella-falconi-filha_0

A médica ressalta, no entanto, que quando houver indícios de sofrimento fetal, com frequência cardíaca não tranquilizadora, será necessário tomar medidas para reverter o quadril e avaliar a possibilidade de cesariana. O principal risco do trabalho de parto prolongado pode ser hemorragia materna ou diminuição do fluxo do oxigênio para o bebê. “Quando ocorrem alterações em algum dos parâmetros de um dos dois, é preciso tomar atitudes. Tudo isso pode ser controlado. Só vai acontecer algo ruim quando não for diagnosticada previamente a possibilidade de algum dano”, finaliza.

 

 

 

 

Comentar

Navegue pelas Categorias