HPV: conheça os estágios da doença

Prevenção e acompanhamento médico são as melhores formas de tratar e diagnosticar

Diagnosis - HPV. Medical Concept with Blurred Background.

Foto: Revista Pense Leve

O câncer de colo de útero é a quarta causa de morte de mulheres por câncer no País. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), cinco mil brasileiras diagnosticadas com a doença morrem por ano. Além disso, 15 mil novos casos podem ser detectados anualmente. “O câncer de colo de útero é um tumor que acomete a parte interior do órgão. O vírus HPV (papilomavírus humano) é um dos maiores responsáveis pelo câncer de colo de útero. Existem mais de 150 tipos de HPV, sendo que aproximadamente 15 deles são os mais agressivos”, explica Erica Mantelli, ginecologista, obstetra e especialista em sexologia, de São Paulo (SP). A transmissão é feita pelo contato direto com a pele ou mucosa infectada durante a relação sexual. A maioria das mulheres com câncer de colo de útero tem HPV, porém a grande maioria que tem HPV NÃO terá câncer. Existem outros fatores, além do HPV que aumentam a incidência do câncer de colo de útero. “O intervalo entre uma infecção não tratada e o desenvolvimento do câncer pode levar décadas. Por isso, o acompanhamento ginecológico por meio do exame de Papanicolaou é essencial para tratar qualquer alteração que apareça no colo do útero”, orienta.

Em quadros de contágio, o câncer tem cinco estágios, no início ele está localizado apenas dentro do colo do útero. No segundo e terceiro estágios, o câncer se espalha pelo útero e pode atingir a parede óssea e até a vagina. Já na fase final, com metástases, a bexiga e o intestino baixo também ficam comprometidos. “Por ser uma doença silenciosa, no começo, dificilmente irá apresentar algum sintoma. Mas, nas fases avançadas a mulher pode ter corrimento ou sangramento espontâneo após a relação sexual, dor na região pélvica e dificuldade em urinar ou apresentar urina com sangue”, explica a ginecologista. O diagnóstico precoce ajuda no tratamento e cura, mas o uso da camisinha, assim como a vacina contra o vírus HPV, são as principais formas de prevenção.

 

Fonte: Revista Pense Leve

Comentar

Navegue pelas Categorias