A vida sexual após o parto é capaz de gerar muitas dúvidas nas mulheres. Será que é possível ter uma vida sexual plena e satisfatória neste período? São diversas as incertezas: será que vai doer? A vagina realmente se modifica depois do parto normal? Durante a amamentação a libido diminui? É normal perder a lubrificação? Todas essas questões têm respostas, confira…

Durante os nove meses, o corpo da mulher sofre intensas modificações para gerar o bebê. Após o parto, estas modificações persistem para que a mamãe possa produzir leite, amamentar e cuidar do seu filho. A revolução hormonal, que ocorre com a saída da placenta e com a produção de leite, modifica também os hormônios sexuais. Com isso, a mulher pode momentaneamente perder o interesse pelo sexo, já que ela fica focada nos cuidados com o bebê. Seu corpo ainda está tentando voltar às condições pré-gravidez. E, em meio à troca de fraldas, mamas cheias de leite, sono intenso, cansaço pela rotina que ainda não se estabeleceu, existe uma mulher que está se (re)descobrindo e aprendendo a se relacionar com ela mesma.

Sexo é relação, e para se relacionar bem com alguém, a mulher precisa se relacionar bem com ela primeiro, isto é, se aceitar, não se cobrar e não buscar uma perfeição que não existe.

O ideal é retornar à relação sexual com penetração vaginal cerca de 40-45 dias após o nascimento, independentemente do tipo de parto. Esse período é importante para que o útero retorne ao tamanho normal, além de fechar o colo do útero e ocorrer a limpeza do conteúdo uterino com a saída da loquiação (sangramento vaginal após o parto) e não ter risco de infecção vaginal.

Parto normal não causa alargamento da

vagina. A natureza é perfeita e, independente da via de parto, tudo tende a voltar a funcionar adequadamente depois.

As primeiras relações após o parto podem ser desconfortáveis para algumas mulheres por conta do ressecamento vaginal e da falta de libido. Deste modo, o orgasmo fica mais difícil de ser atingido. Dependendo das alterações encontradas, a relação sexual poderá ser um tormento, gerar sofrimento. E sexo não é pra ser doloroso, é para ser gostoso! Por este motivo, a mulher nunca deve presumir que isso seja normal e, assim, procurar ajuda médica especializada. Em alguns casos, poderá ser indicado o uso de algum lubrificante e hidrante vaginal. A fisioterapia pélvica pode ajudar muito nesta fase, com exercícios bem indicados para ativação perineal. O laser íntimo também apresenta resultados promissores, uma vez que melhora a vascularização da mucosa, aumenta a produção de colágeno, a elasticidade e a lubrificação vaginal natural. O importante é manter níveis adequados de vitaminas, além de uma alimentação saudável.

A mulher nunca deve ter vergonha de conversar com seu parceiro e dizer como se sente. Muitas vezes, o casal precisa voltar a namorar com calma após o parto, já que o medo é o maior inimigo e faz a mulher “travar”, além de atrapalhar todo o ciclo de resposta sexual. A parceria do casal é fundamental no cuidado com os filhos e nos cuidados um com o outro, respeitando os limites de cada um. E lembrando que, antes de serem pais, havia um casal e é totalmente possível ter uma vida sexual feliz após o parto!

As mulheres devem sempre procurar ajuda e não aceitar nada menos do que o máximo para a vida! Mulher que se ama, se cuida!

Fonte: Caras Brazil

2017 © Copyright - Dra. Erica Mantelli | Ginecologista e Obstetra
CRM-SP 124.315 | RQE 36685

   

Design by formulaideal

WhatsApp