Em alguns casos mais graves, ela deve ser tratada com medicamentos.

A tensão pré-menstrual atinge sete em cada dez mulheres brasileiras em idade reprodutiva, de acordo com o Ministério da Saúde, e apresenta mais de duzentos sintomas associados. Entretanto, ela ainda é tratada como “frescura”.

A TPM é um estado no qual o corpo sofre com os sintomas da variação hormonal decorrente do ciclo menstrual. O tempo de duração varia de 7 a 10 dias antes da menstruação, e segue até o fim dela. A intensidade e variedades de sintomas pode estar relacionado ao estilo de vida da mulher.

“Biologicamente, o copo da mulher se prepara após a ovulação para que haja uma gravidez. Quando isso não ocorre, vem a menstruação e com elas as alterações hormonais que podem causar a sensação de angústia tão comum na TPM”, explica a ginecologista, obstetra e sexóloga Dra. Erica Mantelli.

Apesar de incomodar, é possível de trata-la. Segundo a Dra. Erica, mais de 90% dos sintomas desaparecem através de mudança de hábitos associada e suplementação individualizado.

A melhor maneira de combater e prevenir os desconfortos da TPM é manter uma dieta saudável e tentar resistir ao excesso de doces, industrializados e alimentos ricos em sódio, que podem piorar o inchaço. A prática de exercícios físicos também ajuda a combater cólicas e o mau humor através da liberação de endorfina, o hormônio do bem-estar.

“A tensão pré-menstrual pode atingir graus mais severos e isso pode comprometer a qualidade de vida, o ambiente familiar, social e profissional”, explica Dra. Erica. “Em alguns casos mais graves, a TPM é tratada com medicamentos”.

2017 © Copyright - Dra. Erica Mantelli | Ginecologista e Obstetra
CRM-SP 124.315 | RQE 36685

   

Design by formulaideal